EduCAFÉ

Melhores do mundo: você conhece o café do jacu?

Você provaria um café produzido a partir das fezes de um animal? Por mais estranho que pareça, é isso mesmo que você está lendo. O café do jacu, referência no mundo todo, é um produto brasileiro, produzido com base nos grãos eliminados nos dejetos do pássaro homônimo natural da Mata Atlântica.

Embora isso possa causar uma certa repulsa inicialmente, há um motivo para ele ser produzido assim. Quer saber mais sobre o café jacu? Então acompanhe a leitura e descubra!

A história do café do jacu

A história do café jacu se inicia na Fazenda Camocim, no interior do Espírito Santo. A relação entre a fazenda e os jacus, ave natural da região, hoje é muito amigável, mas nem sempre foi assim.

Antes deles aprenderam a coabitar, as aves eram um verdadeiro problema para o café produzido na Camocim. Elas atacavam os cafezais e devoravam os seus frutos, destruindo uma parte da colheita e causando grandes prejuízos.

Buscando alternativas que não fossem o extermínio das aves, o dono da fazenda teve uma ideia inusitada ao lembrar do processo de produção do café mais caro do mundo e se deparar com uma situação parecida com a sua.

O Kopi Luwak, como é chamado esse café, é produzido a partir de grãos de café extraídos das fezes de uma espécie de Gambá selvagem da região da Sumatra, que assim como o jacu, um dia já foi considerado uma praga para os produtores da região.

Tudo mudou quando os produtores perceberam que a digestão do animal expelia o grão inteiro e concedia ao café características excepcionais. Dessa forma, é possível prepará-lo normalmente e obter um café diferente de qualquer outro.

Ao perceber que o mesmo acontecia com a digestão do jacu, esse fazendeiro resolveu adaptar o processo de produção à sua realidade. Assim nasceu o café do jacu.

A produção de um dos cafés mais exóticos do mundo

A produção do café do jacu é diferente de qualquer outro café no Brasil porque inclui uma ave nesse processo. Tudo começa com o jacu, que ao atacar os cafezais, não apenas come os grãos como seleciona os melhores, ou seja, os mais saudáveis e maduros para ingerir.

Do seu processo digestório é que vem o segredo e o diferencial do produto. Ao ingerir o café, o organismo do pássaro, que não tem estômago, aproveita apenas a polpa e a casca do grão, eliminando-o intacto. Além disso, a digestão do animal deixa o café com um sabor único.

A colheita desses grãos é feita no pé das árvores, onde as aves deixam seus dejetos. Logo eles são encaminhados para um processo de limpeza e depois são torrados e moídos.

O café mais caro do Brasil

O café do jacu detém o título de café mais caro do Brasil e um dos mais caros do mundo. Não é para menos, afinal o processo de produção é totalmente natural e dependente dos pássaros.

Como o jacu é uma espécie ameaçada de extinção, ele não pode ser preso e nem reproduzido em cativeiro. Sendo assim, toda a produção desse café depende que a ave coma naturalmente os grãos. Isso torna a produção limitadíssima e justifica o preço bastante elevado do produto, que pode custar cerca de 30 vezes mais que o café tradicional.

E então, o que achou do café do jacu? Teria coragem de experimentar ou achou exótico demais para o seu gosto? Deixe um comentário!

Conheça nosso canal no YouTube.

Nós somos o Troco do Café. Conhece a nossa loja virtual? 

O Troco do Café fortalece o direct trade pois dá acesso aos produtores venderem seu café diretamente ao consumidor final. Bem como dá acesso aos brasileiros a encontrarem os produtores que estão produzindo qualidade. Viste o Troco do Café! O marketplace de cafés especiais do Brasil! Encontre tudo para ter a melhor experiência com o seu cafezinho!

Sobre o autor

Troco do Café

Troco do Café

Troco do Café é um projeto com o objetivo de facilitar o acesso aos cafés de qualidade produzidos no Brasil!

Deixar comentário.