Você e o Café

O pecado de beber um cafezinho!

café e sexo

Você aprecia o sabor do café? Feito de maneira artesanal com coador e água aquecida no fogão a lenha ou preparado na modernidade das máquinas que produzem o café espresso ou expresso.

Grafia espresso ou expresso

Antes de mais nada, qualquer grafia é correta, a duplicidade na maneira de escrever revela quanto o café é um produto da terra brasileira, tanto como tem suas implicações com o além-fronteiras.

A começar pela ortografia, a palavra espresso – relacionada a espremer – tem origem italiana, berço natal desse tipo de bebida, porém na sua adaptação ao vernáculo da língua portuguesa, tornou-se expresso, relativo à velocidade – o café rápido!

A controvérsia do café

O controverso da palavra, por sua vez, revela outras peculiaridades típicas da nossa história cafeeira. Produzimos bastante café e adversamente, a Itália, um país europeu, cultivador de oliveiras, foi o inventor da máquina de aperfeiçoamento de um dos nossos maiores produtos de exportação.

Mas, isto não é um fato novo, quando começamos a produzir açúcar no século XVII, o maior distribuidor no mercado mundial era a Holanda! E nos dias atuais, o café figurando como item de relevância nas exportações brasileiras, é negociado praticamente in natura, deixando o lucrativo comércio do café com mais qualidade, no circuito da Europa, nas mãos da Alemanha.

Sempre enfatizando o ir além de nossas fronteiras, se o café cruzou o Oceano Atlântico, no sentido inverso, o africano foi obrigado a abandonar a sua terra natal, e como escravo cultivar as primeiras mudas pelos anos 1830, no vale do Paraíba, Rio de Janeiro.

Consequência do esgotamento das terras, a cultura cafeeira prosseguiu em direção ao interior de São Paulo para se tornar a glória da economia do Império. Para sustentar as plantações no oeste paulista na segunda metade do século XIX, fugindo da fome e da miséria, o imigrante europeu, vindo do além-fronteiras, teve de suportar enorme sofrimento para levar adiante a lucrativa cultura cafeeira.

Café fruto proibido

E o controverso café, orgulho nacional, hoje é apreciado em qualquer parte do Brasil religioso, pátria do cristianismo e da fé intensa no Criador. Mas você leitor e apreciador do nosso cafezinho, mal sabe de outro fato polêmico. O cultivo do café teve inicio nos países árabes, o café arábico, e até o século XVI era considerado um fruto maometano e proibido.

Se algum personagem do mundo ocidental provasse do cafezinho seria considerado um pecador e excomungado pela Igreja. Mundo dos espertos, os comerciantes, depois de manobras bem planejadas, conseguiram que o Papa Clemente VIII provasse do liquido pecaminoso.

Depois de uma receosa experimentada, estalou a língua e comentou: uma delicia! Após o ato sagrado da permissão, o cultivo do café propagou-se no mundo ocidental, e o costume de consumir a bebida negra expandiu-se pela Europa.

A cultura do café agradece ao Papa

Portanto leitor, dentro de uma história tão controversa, caso não existisse o ato benevolente do Papa Clemente VIII, você seria considerado um grande pecador!

Sendo assim, na contemporaneidade, não esquecendo o contraditório, haja perdão católico para se deleitar com o prazer de beber o nosso cafezinho!

Quer saber mais, não deixe de conferir a origem do café e suas peculiaridades.

Conheça o canal do Troco do Café no YouTube. Curta a página do Facebook !

 

Sobre o autor

Romulo Agresta

Engenheiro 'reformado'. Escritor regionalista e historiador. Autor de quatro livros. Piumhiense roxo, divide a vida entre a moderna BH, as praias de Vila Velha e seu amor por Piumhi.

Deixar comentário.