EduCAFÉ

Os 5 fatos sobre Cold brew que você precisa ficar por dentro!

Atualmente, é possível encontrar diferentes formas de preparar e de servir um café. Cada uma oferece sabores e aromas indescritíveis, além de proporcionar diferentes experiências para os sentidos a cada xícara.

O cold brew, por exemplo, é um método diferenciado que vem ganhando espaço na mesa dos brasileiros, uma vez que as suas características sensoriais são extraídas a frio, ao contrário do tradicional cafezinho do Brasil.

Essa bebida, seja servida normalmente gelada, também pode ser consumida junto com outros ingredientes (como gelo, água tônica, limão, leite e chantilly) e como bases aromáticas de receitas (como drinks, recheios de tortas e massas de bolos).

Ficou interessado? Então continue a leitura!

1. As características sensoriais são diferentes

Em relação ao café tradicionalmente coado com água quente, o cold brew apresenta características sensoriais distintas. A técnica deixa a água na temperatura ambiente (ou até mesmo fria) em contato, por longas horas, com o pó de café, fazendo com que todos os aromas e sabores sejam extraídos, mas sem transferir para a bebida os ácidos indesejáveis e os óleos amargos do grão.

Como resultado, tem-se um café suavemente mais doce, com sabor leve e delicado, de aroma intenso e com até 70% a menos de acidez no paladar.

2. A técnica cold brew é bem antiga

O método cold brew é antigo. Na época, o intuito era levar um concentrado de café que pudesse ser consumido com facilidade. Seja no período de guerras, seja para fazer longas viagens. Que pudesse ser preservado independente das condições adversas.

Inicialmente, os holandeses foram os beneficiados. Em seguida, os japoneses (que já utilizam a infusão de chás) e logo após os franceses. É importante mencionar que, com o tempo, a técnica foi se aperfeiçoando e somente no século XIX é que a versão do cold brew aproximou-se da bebida feita nos dias atuais.

3. O teor de cafeína, no concentrado, é superior 

Devido ao fato de o processo de infusão durar longas horas e a quantidade de café utilizada ser maior, o teor de cafeína na bebida concentrada é superior ao do café tradicional. Por isso, ele pode ser dissolvido, sem perder as propriedades aromáticas, com água (quente ou fria), gelo e leite por exemplo.

4. O processo de infusão dura cerca de 12 horas

Como a água utilizada no preparo do cold brew fica em temperatura ambiente ou fria, é necessário que o tempo de infusão seja muito maior para extrair todos os aromas e os sabores do grão.

Em geral, o período mínimo de procedimento é de 12 horas. No entanto, existem preparações que exigem até 18 horas. Apesar de o tempo ser longo, o resultado final é satisfatório e único.

5. A bebida pode ser feita de forma caseira

Hoje em dia existem equipamentos específicos para se preparar um bom cold brew. Todavia, o processo pode ser feito em casa com um coador ou com uma prensa francesa.

Para isso, você deve colocar o grão de café torrado com moagem média ou grossa em água filtrada (ou mineral). Depois, é essencial deixar a mistura em temperatura ambiente ou na geladeira por, no mínimo, 12 horas. Por fim, o líquido deve ser coado e servido de acordo com a sua preferência.

É isso aí, agora que você já viu alguns dos principais fatos sobre o cold brew, aproveite as informações e experimente já este método. Não se esqueça de que é uma maneira de alcançar diferentes aromas e sabores para o seu paladar e de conhecer ainda mais sobre o extenso universo do café.

Que encontrar equipamentos para preparar cold brew na sua casa, visite a loja do Troco do Café.

Se gostou do post, curta a nossa página no Facebook e fique por dentro de outros assuntos como esse!

Sobre o autor

Troco do Café

Troco do Café

Troco do Café é um projeto com o objetivo de facilitar o acesso aos cafés de qualidade produzidos no Brasil!

Deixar comentário.